NATUREZA URBANA – Erythrina speciosa

erythrina - Mariana

Nome Popular: Erythrina candelabro, mulungu do litoral.

Nome científico: Erytrina speciosa

Origem: Nativa da mata atlântica, ela aprecia a umidade, em terreno brejosos, à beira de rios e o litoral. Tem excelente efeito paisagístico, pois além da beleza singular, produz boa sombra no verão e permite a passagem de luz no inverno, época que perde as folhas.

Seu porte é de 3 a 5 metros de altura. Apresenta inflorescência em forma de candelabro, composta de flores de coloração vermelho-vivo, muito atrativa para os beija-flores. O tronco é espinhento e a madeira é leve, mole e pouco durável. As folhas são grandes, em formato de losango, no inverno a árvore permanece destituída de folhagem,  no período de floração. O florescimento ocorre entre junho e setembro. Os frutos são do tipo legume (vagem).

Deve ser cultivada a pleno sol, em solos férteis e úmidos, preferencialmente ricos em matéria orgânica. Multiplica-se principalmente por sementes, que não necessitam nenhum tipo de tratamento especial

Erytrina speciosa
Erytrina speciosa
foto-erytrina
Erytrina speciosa

mariana quaresmeira

NATUREZA URBANA – QUARESMEIRA

Nome Cientifico: Tibouchina granulosa

Nome Popular: Quaresmeira
Altura máxima: 12,00m
Origem: Nativa, ocorre desde a Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, principalmente na floresta pluvial da encosta atlântica.
Época de Floração: Floresce duas vezes ao ano, em junho à agosto e dezembro à março, sendo nessa última época mais abundante.
A quaresmeira é uma árvore de rara beleza, que encanta por sua exuberante floração, que varia entre tons de roxo ao rosa.
Com seu porte de pequeno à médio, tem seu tronco simples ou múltiplo, e mesmo quando não esta em flor, a quaresmeira é uma árvore extremamente ornamental, pois sua copa apresenta um formato arredondado e suas folhas de cor verde escura, que pode ser perene ou semi-decidua, dependendo da variação natural da espécie e do clima em que se encontra.
Sem dúvida alguma, a quaresmeira é uma árvore que não pode faltar em qualquer projeto de paisagismo, tanto de arborização viária como de parques e praças!
_DSF6800 quaresmeira t

CIDADES – Estação da Luz

Estaçao da Luz001
Estação da Luz
Estaçao da Luz002
Estação da Luz – Detalhe

Caros leitores, apreciadores das cidades, da arquitetura, da pintura…

Estamos publicando mais dois croquis! E atendendo a tantos pedidos, aí vai nosso o olhar sobre a Estação da Luz! Esperamos que aproveitem!

A Estação da Luz possui uma grande importância na história da cidade de São Paulo, partiu de uma iniciativa do Barão de Mauá e construída entre os anos de 1895 e 1901, para suceder a primeira estação, que data de 1867. Idealizada na estética vitoriana, a estrutura desta Estação foi toda importada da Inglaterra. O projeto foi supervisionado pelo engenheiro James Ford, sua ideia era que a Estação sediasse a nova Companhia São Paulo Railway. Seu projeto foi inspirado em uma estação australiana, a Flinders Street Station, localizada em Melbourne.

Natureza Urbana – Bauhinia forficata

A TerraUrbanismo está publicando mais um croqui sobre Natureza Urbana!
Nossa ideia é compartilhar imagens que remetam à flora no contexto urbano, considerando a importância da vegetação no ambiente das cidades, na qualidade de vida de seus habitantes.  A ideia propõe um divertimento que pode ser desfrutado por todos e também uma forma de fortalecer o reconhecimento e valorização de nosso patrimônio natural, de ressignificar a identidade com o espaço urbano, a partir de uma atividade prazerosa, um lazer. Segue abaixo imagem para download do croqui, assim como sua imagem original, que poderá servir como base para colorir.
pata de vaca branca t_DSF6797
Nome científico: Bauhinia forficata
Nome popular: Pata-de-vaca
Altura máxima: 9,00m
Ambiente:
Origem: Nativa
Dentre todas as espécies de Bauhinia esta á a única nativa do Brasil.
 Assim como a Bauhinia purpurea que publicamos na semana passada, esta espécie é excelente arvore para o paisagismo em geral, principalmente para a arborização viária.
Com folhas glabras ou levemente pubescentes na face dorsal, divididas até acima do meio, configurando o formato de uma pata-de-vaca, o que originou o seu nome popular. Tem crescimento rápido e suas flores imaculadamente brancas contrastam com o verde intenso das folhas e seus troncos tortuosos, conferindo a esta espécie uma singular beleza, com a floração que inicia em outubro e se estende até janeiro.

Natureza Urbana – Bauhinia purpurea


A Terra Urbanismo, inspirada na nova tendência dos livros de colorir e seus princípios terapêuticos, publicará um conjunto de croquis para serem coloridos com qualquer técnica. Após nossa recente publicação sobre croquis que retratam fragmentos da cidade, nos ocorreu compartilhar imagens que remetessem à flora no contexto urbano, considerando a importância da vegetação  no ambiente das cidades, na qualidade de vida de seus habitantes. Os croquis sobre Natureza Urbana serão produzidos pela equipe Terra Urbanismo e publicados periodicamente. A ideia propõe um divertimento que pode ser desfrutado por todos e também uma forma de fortalecer o reconhecimento e valorização de nosso patrimônio natural, de ressignificar a identidade com o espaço urbano, a partir de uma atividade prazerosa, um lazer. Segue abaixo imagem para download do croqui, assim como sua imagem original, que poderá servir como base para colorir.

pata de vaca rosa t_DSF6791

Nome científico: Bauhinia purpurea

Nome popular: Pata-de-vaca-roxa
Altura máxima: 6,00m
Ambiente: Pleno sol
Origem: Índia
Época de Floração: Verão, Outono e Inverno
Excelente árvore para o paisagismo em geral. Suas folhas são simples, lobadas e chamam a atenção pelo formato que pode ser comparado ao casco de uma vaca ou a uma borboleta. As flores lembram muito às flores de orquídeas e exalam um leve e agradável perfume. Sua coloração rosa púrpura contrasta com o verde intenso de suas folhas, compondo um espetáculo da natureza nas épocas de floração que inicia-se ao final do inverno estendendo por todo o verão.
É muito utilizada na arborização viária desde as grandes cidades ate o interior, pois suas raízes não são agressivas e seu porte médio possibilita o plantio em vias locais à grandes avenidas, oferecendo ótimo sombreamento, um alívio para regiões mais quentes.
“Perdoa-me, folha seca,

não posso cuidar de ti. Vim para amar neste mundo, e até do amor me perdi. (…) Tu és folha de outono voante pelo jardim. Deixo-te a minha saudade – a melhor parte de mim. Cecília Meireles

Igreja de Santa Ifigênia e Ponte Estaiada

Nesta semana as duas obras que estaremos disponibilizando para pintar são de épocas, materiais, características arquitetônicas, técnicas construtivas e funções urbanas muito diferentes!

São elas a Igreja de Santa Ifigênia e a Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira.

procissão
Igreja de Santa Ifigênia – Procissão de Corpus Christi
ponte estaiada
Ponte Estaiada Octávio Frias

Igreja de Santa Ifigênia

Localizada perto do Vale do Anhangabaú, a atual Igreja de Santa Ifigênia, obra arquitetônica tombada pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP) de caráter neo-românico, está construída no lugar de uma das mais antigas capelas da cidade, a Capela de Nossa Senhora da Conceição, construída antes de 1720. A partir de 1794 iniciou a primeira reforma, da qual deu origem a paróquia de Nossa Senhora da Conceição e Santa Ifigênia, que deu nome ao largo e ao bairro localizado ao redor da igreja.

Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira

Esta obra compõe o Complexo Viário Real Parque juntamente com o viaduto José Bonifácio Coutinho Nogueira, e é um marco arquitetônico mundial, sendo a única a suportar 2 pistas em curva pelo seu mastro em “X”.

Muito diferente da obra descrita anteriormente, esta possui materiais e técnicas construtivas muito mais modernas. As duas pistas são sustentadas por estais, grandes cabos de aço tensionados conectados ao mastro principal, eliminando assim a necessidade de pilares ou de grandes vigamentos como encontramos normalmente em pontes e viadutos comuns.

Na sua concepção, as cores amarelas dos cabos teriam a finalidade de simular raios de luz ao meio do céu.

Agora, vamos aos croquis!

Para baixar os croquis basta clicar na imagem e com o botão direito selecionar a opção de salvar a imagem.
Logo mais disponibilizaremos alguns croquis pintados para inspirar.

Divirtam-se!

TerraUrbanismo convida para pintar a cidade!

A Terra Urbanismo, inspirada na nova tendência dos livros de colorir e seus princípios terapêuticos, publicará um conjunto de croquis para serem coloridos com qualquer técnica. Os cenários selecionados trarão: um fragmento da cidade … uma obra arquitetônica … um conflito urbano … uma peculiaridade … uma passagem trivial … um detalhe que os olhos perdem na velocidade da cidade moderna …

Os croquis serão produzidos pela equipe Terra Urbanismo e publicados periodicamente. A ideia propõe um divertimento que pode ser desfrutado por todos e também uma forma de fortalecer o reconhecimento e valorização de nosso próprio patrimônio, de ressignificar a identidade com o espaço urbano, a partir de uma atividade prazerosa, um lazer. Para baixar os croquis basta clicar na imagem e, com o botão direito, selecionar a opção de salvar a imagem.